sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Vem aí...



Lembram onde o Bando estava domingo passado?

Pois, o Festival que aconteceu no Piauí tá rolando aqui também.
E já começa na segunda!

Arte em todos os sentidos!

Olha que lindo o que a gente descobriu:





É um comercial de TV feito como projeto experimental de conclusão de curso de estudantes das Faculdades Jorge Amado. Foi apresentado em dezembro de 2006 e classificado com conceito máximo pela banca examinadora. Ficou mesmo muito bom!

Não acha?!

Última chamada para Teodorico!


Quem ainda não assistiu à peça Teodorico Majestade, venha logo que já tá acabando! O espetáculo, realizado pelo grupo Teatro Popular de Ilhéus, está saindo de cartaz e se apresenta somente neste sábado e domingo (30 e 31).

Ely Izidro, Tânia Barbosa e Takaro Vítor em cena

Com este sugestivo nome, a peça foi co-responsável pela perda do mandato do último prefeito de Ilhéus. Impedidos de se apresentarem no palco municipal, o grupo levou a montagem para as ruas e, com muito humor e irreverência, mobilizou a população a participar mais ativamente do momento político que Ilhéus vivia, com acusações gravíssimas ao seu principal gestor público. Infelizmente, o final feliz não se reproduz Brasil a fora, como deveria. Divertidíssima, a peça tem o texto em cordel, com sotaque, piadas e gírias que remetem ao clima da Bahia interiorana. Não deixe de vir! Atenção que o horário é diferente: 18h.


Teodorico Majestade - as últimas horas de um prefeito
Cabaré do Vila
Sábado e Domingo, 18h
r$ 10/5

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

É agora ou nunca!



Pois é, quem deixou para assistir o espetáculo Labirintos na última hora, vai ter que apelar para a pontualidade e chegar cedo. Essa é a última semana de apresentações do espetáculo, que tem um caráter itinerante e experimental, a serviço de reviver a história do mito de Teseu, Dédalo e Ícaro. A mais nova montagem do Vilavox encerra neste domingo a sua bem sucedida temporada, conquistando público mesmo em noites chuvosas (sim, porque vale informar que a peça começa do lado de fora, percorrendo o Passeio Público).

Uma dica: é bom deixar de lado o pensamento "hum...tô com preguiça, hoje, vou esperar a peça voltar a cartaz". Isso porque as probabilidades de Labirintos voltar a cartaz são bem pequenas. (mesmo com o retorno positivo do público, mesmo com gente voltando para casa por conta dos ingressos esgotados em algumas noites...). A peça envolve uma certa reconfiguração do espaço do Vila, que é todo transformado em espaço cênico: Cabaré, Palcão, corredores, escadas, cantinhos, entradas de camarim. Essa disponibilidade toda numa usina que tem seis grupos residentes, sem contar todos os espetáculos que vem de fora e ocupam a pauta da casa, é algo bem raro. Além disso, a peça envolve um número grande de profissionais: atores, músicos, equipe de iluminação, equipe de cenografia, equipe de contra-regragem. Conciliar tanta gente, sem recursos financeiros (sim, porque esse espetáculo, como alguns outros de nossa terra, foi produzido na raça, sem nenhum patrocínio, salvo os bem vindos apoios da Espaço Dez Academia, Phisiopilates, Vile Parafinas e Essências, Fundação Internacional de Capoeira Angola, Déo Carvalho, Fundação Cultural do Estado da Bahia.

Quem quiser se perder nesses caminhos; se achar, rir e se emocionar com a história desses mitos gregos com sotaque baiano, tem que chegar cedo! O espetáculo tá rolando de sexta a domingo, às 20h, mas a bilheteria abre desde às 19h. Ganha quem chegar primeiro!

Tá dado o recado!
Apareçam!



Toma, Teseu!


. . : Labirintos - FIM DE TEMPORADA - sexta, sábado e domingo - 20h.
Passeio Público, Foyer, Cabaré e Palco Principal. r$ 20/10

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Só hoje e pronto!

Confluir veio de Minas Gerais e todo mundo sabe que não é fácil fazer um espetáculo circular o país. Ele traz a bailarina, coreógrafa e pesquisadora Thembi Rosa em um solo que combina música, dança e objetos com o fim de mostrar que o corpo é um campo criativo por onde fluem idéias e pensamentos. A idéia é quebrar alguns paradigmas técnico-estéticos da dança, avançando sobre suas possibilidades de resolução cênica. A coreografia, feita a quatro mãos, é de Alejandro Ahmed e Rodrigo Pederneiras (das companhias Cena 11 e Grupo Corpo, respectivamente) e trilha sonora do duo musical “O Grivo”. Confluir é uma investigação de padrões de movimentos coreográficos, informação e percepção. Teve apresentação ontem e tem hoje de novo. E só. Vai perder?

Confluir - hoje, 20h, Palco Principal do Vila. R$10,00/ 5,00 (meia).

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Estágio no Vila!




O Vila seleciona escr... er... estagiário para o seu Núcleo de Comunicação. De novo! Sim! Desta feita, a vaga é para estudantes de Publicidade e Propaganda, Design Gráfico ou Ciência da Computação. É desejado que o candidato esteja além da metade do curso e que tenha conhecimento das ferramentas de design, de programação em web e que possua pelo menos um trabalho gráfico publicado na internet.


Os interessados devem encaminhar currículo com indicação do material online a ser analisado para o email comunicacao@teatrovilavelha.com.br aos cuidados de Bruno Machado e Camilo Fróes.


Vai arriscar?!

Primeira Vox

Aconteceu ontem a primeira leitura do projeto Leitura em Vox Alta, que integra os oito meses de programação do Grupo Vilavox. O texto escolhido para abrir esse ciclo de leituras foi Dissidente, do francês Michel Vinaver, e foi lido pelos atores Vivianne Laert e Daniel Farias. O encontro reuniu um público diverso, além de estudantes e artistas, e o bate-papo final contou com a especial presença de Catarina Sant'ana, tradutora do texto.

Hoje tem mais leitura, desta vez com a presença da diretora e dramaturga Adelice Souza para alimentar a discussão. Vai ser na sala João Augusto e começa pontualmente às 20h, portanto, chegue cedo e garanta seu lugar!



Em cena, Vivianne Laert e Daniel Farias

Primeiríssima platéia!

Gordo Neto, Catarina Sant'ana, Vivianne e Daniel

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Amanhã e depois!

Não perca a chance! Só amanhã e depois: Confluir - solo de Thembi Rosa com coreografia de Alejandro Ahmed e Rodrigo Pederneiras e música do duo "O Grivo".

Começa às 20 horas nos dois dias.

Olha o Banner!




Confluir é uma investigação na área da dança, de seus padrões de movimento, informação e percepção. Sua dinâmica confronta as regras lógicas de organização técnico-estética da cena e conjuga diversas possibilidades de resolução. No espetáculo, as coreografias coexistem e música, dança e objetos contribuem para mostrar que o corpo é um campo criativo por onde fluem idéias e pensamentos.

Vídeos do Quarta que Dança

Hélio Oliveira, responsável pelas coreografias do Ballet Cultural Corppus, disponibilizou vários vídeos do espetáculo Vozes D'África na internet. Os imagens são da última apresentação do Corppus na Sala do Coro do TCA, dentro o projeto Quarta que Dança.

Confira em http://corppus.blogspot.com

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Vox Alta


Nos próximos dias 25 e 26 de agosto (segunda e terça), o grupo Vilavox abre seu ciclo de leituras dramáticas “Leitura em Vox Alta” com “Dissidente”, texto de Michel Vinaver. Atuam Daniel Farias e Vivianne Laert sob direção de Gordo Neto e intervenções sonoras de violão de Ricardo Caian. Segundo o diretor, uma marca dessa leitura será a movimentação dos atores e a iluminação cênica. Após a apresentação, um bate-papo com o público esmiúça o texto em seus vários aspectos. No dia 25, a discussão terá a participação da tradutora da peça, Catarina Sant’ana. No dia 26, é vez da diretora teatral Adelice Souza. A leitura acontece na Sala João Augusto, no Vila, às 20h, com entrada franca.

A "Leitura em Vox Alta" faz parte do projeto "8 meses de Programação" do Grupo Vilavox, que conta com o apoio institucional do Fundo de Cultura do Estado da Bahia.


PALAVRA DO VILAVOX
Ler textos de teatro sempre traz muitos desafios: escolher a medida entre a “leitura de mesa” e o “apontamento de um futuro espetáculo”, por exemplo, são alguns deles. Além disso, o público interessado nesse tipo de atividade normalmente se restringe à “classe” e estudantes de artes cênicas ou de outras áreas em que o tema da peça lida possa vir a interessar. Uma leitura pode virar um espetáculo, pode servir de estudo para uma futura montagem, pode servir para... estudar. É isso. É isso que queremos com essa programação de oito meses de leituras dramáticas. O projeto Leitura em Vox Alta, do grupo Vilavox, se propõe a ler peças, nas formas mais variadas, discutir acerca de seu conteúdo e de temas correlatos. A cada leitura, teremos um convidado para bater um papo conosco - o grupo, com o elenco (que contará também com atores convidados) e com a platéia presente.

o que é?
Leituras de peças ou cenas seguidas de bate-papo.

como é?
A cada dois meses, um tema diferente. A cada leitura, um convidado especial para um bate-papo.

quanto e pra quem é?
É gratuito. É pra estudante, pra professor, pra quem gosta de teatro, de literatura, de gente.

Leitura em Vox Alta
25 e 26 de agosto - 20h

Texto: "Dissidente", de Michel Vinaver
Bate-papo: dia 25 com Catarina Sant´ana - Profa. Dra. da Escola de Teatro da UFBA e tradutora de "Dissidente"). Dia 26 com Adelice Souza, diretora teatral e escritora.
Tema: teatro pós-dramático
Onde: Teatro Vila Velha - Sala João Augusto
Elenco: Daniel Farias e Viviane Laerte
Direção: Gordo Neto

Hoje tem! Amanhã e domingo também!




Cabaré no Piauí



Nesta madrugada, a galera do Bando de Teatro Olodum embarca para Teresina, no Piauí, onde apresenta Cabaré da RRRAÇA – um dos maiores sucessos de seu repertório – na abertura do Festival Internacional de Teatro Lusófono (FestLuso), neste domingo (24).

Além do Bando, a cidade se prepara para receber mais sete grupos vindos de Portugal, Moçambique, Angola, Cabo Verde, São e Príncipe e do Brasil. A programação segue até o sábado seguinte, com mostras de rua, oficinas, conferência e as apresentações das companhias no Theatro 4 de Setembro e no Teatro Municipal João Paulo II – duas das principais salas da cidade.

É a primeira vez que o Piauí recebe um festival internacional. Ousado para os parâmetros das artes cênicas piauienses, o FestLuso vem sendo pensado e produzido há mais de dez anos pelo Grupo Harém de Teatro. Segundo o produtor Francisco Pellé, “a escolha dos convidados levou em conta a maneira como seu trabalho enriquece a arte em língua portuguesa e valoriza o próprio idioma". Um belo reconhecimento ao trabalho do Bando! Quem já viu, sabe.

O I Festival de Teatro Lusófono conta com o patrocínio da Oi, do Governo do Estado do Piauí, da Caixa Cultural e da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Mais informações no site: www.grupoharemteatro.com.br/festluso.htm

E você, já viu Cabaré? Quer ver de novo? Deixe seu comentário! Quem sabe a campanha não funciona...? Com a oficina d’A Outra funcionou...

É só clicar aí embaixo, ó:

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Hoje tem estréia!!!






O espetáculo Teodorico Majestade - As últimas horas de um Prefeito conta, em cordel, a história de um prefeito corrupto que se vê acuado, tendo de decidir se renuncia ou corre o risco de ser linchado pelo povo. A peça é encenada pelo Teatro Popular de Ilhéus e apresenta, de forma irreverente, os bastidores da corrupção. O texto é baseado em acontecimentos recentes da história política de cidade de origem da companhia. Ou seja: sem "meras coincidências", retrato de tantos outros lugares Brasil a fora. Ideal para assistir em tempos de eleições: ajuda a aguçar os "sentidos"!

Há pouco mais de um ano em cartaz, o espetáculo já foi assistido por mais de 10 mil pessoas - grande prova da força do Teatro no interior do estado. É muito bom que eles tenham vindo até aqui. Melhor ainda que tenham escolhido o Vila! Não perca essa chance!

Teodorico estréia hoje, no Cabaré dos Novos, às 20h. Sábado e domingo tem mais, às 18h. A temporada se estende até a próxima semana.
Atenção aos dias e horários, um pouco diferentes do habitual: é na QUINTA, às 20h, depois, SÁBADO e DOMINGO às 18h.

VENHA!




“Teodorico Majestade – As últimas horas de um prefeito”

Teatro Vila Velha – Cabaré dos Novos

Dias 21, 23, 24, 28, 30 e 31 de agosto

Quinta – 20h, Sábado e Domingo – 18h

Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia-entrada)

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Ficou registrado


A passagem do Ministro da Justiça do Brasil, Tarso Genro, pelo Vila Velha ficou registrada. Ele esteve aqui na semana passada para o seminário "Democracia e Trabalho no Mundo Real", em companhia do professores Boaventura Souza Netto e Giuseppe Cocco. Além de falarem para uma platéia lotadíssima (e que não parou de chegar gente, mesmo no decorrer das palestras) eles lançaram o livro "O Mundo Real", com participações deles e de outros cientistas sociais. Durante o lançamento, o ministro juntou-se a Cristina Castro e Gustavo Libório, daqui do Teatro, para uma foto.


crédito: Bruno Guimarães

E agora, que venha o presidente!

Eles dançam!

Muita gente suando a camisa na oficina de dança ministrada pela coréografa Cristina Castro!
Mais de 20 alunos participam das aulas, que continuam até semana que vem.


segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Workshop com Ballet Corppus

O Bairro Beiru/Tancredo Neves recebe a companhia de dança Ballet Corppus para um workshop de Dança Contemporânea. As inscrições são gratuitas e já estão rolando.

Confira no blog da galera: http://corppus.blogspot.com

Madrid Abierto


18/08/2008
Associação Cultural Madrid Abierto convoca artistas para apresentação de Projetos
Informações do portal da Secretaria de Cultura da Bahia - Secult

A Associação Cultural Madrid Abierto convoca interessados a apresentar projetos para a 6ª edição de seu programa internacional de arte pública que acontecerá em 2009 e 2010. O Programa terá sessões de debates sobre arte pública e irá gerar uma série de intervenções de natureza efêmera e temporária em Madri. O objetivo é selecionar artistas para produzir intervenções de uma arte de natureza efêmera e temporária, contribuindo para ativar os espaços públicos, refletindo sobre a arte contemporânea em nosso meio social, cultural e político. Para maiores informações, os interessados devem acessar o site:
http://www.culture-asef.org/english/txt/2008/madrid_abierto/.


Belo projeto. Bem que podia ter um desses por aqui, né?!

sábado, 16 de agosto de 2008

Resultado da Seleção

Saiu a lista com os nomes dos inscritos para a Oficina de Dança Contemporânea com Cristina Castro. Os dançarinos são:



1. Rita Aquino

2. Beto Cerqueira

3. Djalmyr Correa

4. Alana Falcão

5. Pedro Ivo

6. Jacqueline Eslebão

7. Alessandro Borges

8. Luna Dias

9. Lilian Brito

10. Iara Agra

11. Cristina Tocchetto

12. Tais Alves


Parabéns, pessoal! E não se esqueçam que os encontros acontecem na Sala João Augusto, no Vila Velha, de segunda a sexta, das 15h30 às 17h30.

Boa Sorte!

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Vila Velha do Espírito Santo


Se a gente pesquisar na busca de imagens do Google "Vila Velha" + "Espírito Santo", é isso que aparece:




Vila Velha tem uma extensão territorial de 211 km quadrados e é a cidade mais populosa do Espírito Santo, com 345 mil habitantes. Situada a apenas 12 m de distância da capital Vitória, Vila Velha segue em pleno crescimento econômico. Além disso, seu porto é um dos destaques neste crescimento, sendo um dos maiores orgulhos da população "canela-verde".


Agora, fiquem sabendo que a partir de 01 de setembro Fábio ESPÍRITO SANTO torna-se (oficialmente, porque na verdade ele já tá no batente) Diretor Executivo do Teatro VILA VELHA.

Mas não procurem essa informação no Google!


E qualquer semelhança será mera coincidência...


quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Oficina com Cristina

Cristina Castro ministra oficina de Dança Contemporânea

A coreógrafa Cristina Castro, diretora da Companhia Viladança, ministra Oficina de Dança Contemporânea entre os dias 18 e 29 de agosto, para dançarinos com experiência. São duas semanas de aulas gratuitas, das 15h30 às 17h30, na Sala João Augusto – principal espaço de ensaio do Teatro Vila Velha. Alguns alunos podem vir a ser convidados para integrar a nova montagem da Companhia, que estréia no final do mês de novembro. Os interessados podem se inscrever até sexta-feira pelo email ciaviladanca@gmail.com, enviando currículo resumido com foto, ou presencialmente com a produção do Viladança no Vila Velha. O resultado sai no sábado, em resposta aos emails e com lista divulgada no próprio teatro e no Blog do Vila (www.teatrovilavelha.com.br/blog).

Oficina de Dança Contemporânea com Cristina Castro
De 18 a 29 de agosto
Sala João Augusto – Teatro Vila Velha

Gratuita
Inscrições até sexta-feira, 15/08
Pelo email: ciaviladanca@gmail.com
Ou presencialmente, no Teatro Vila Velha.

Informações:
(71) 3083-4608/ 4618

A Barra Mutilada

Segue texto do professor Ordep Serra, morador da Barra há 29 anos, sobre a proposta de intervenção na orla da Barra, com a retirada do calçamento de pedras portuguesas.

Queria antes aproveitar para lembrar que a consulta feita pelo Ministério Público vai até amanhã e o resultado vai indicar o posicionamento a ser adotado pelo órgão. Por enquanto vence a intenção de substituir o piso tradicional por cimento - com 61,82% dos votos. Infelizmente.

A técnica do Mosaico Português (nome original desse tipo de calçada) é um traço identitário das culturas luso-descendentes. Parece simples ou delirante, mas UNE POVOS. É um crime jogarmos fora mais esse patrimônio, como já fizemos com tantos outros.

Não deixe de votar! De preferência no "Não Concordo"!

O endereço é: http://www.mp.ba.gov.br/atuacao/ceama/principal.asp


Bruno Machado




A BARRA MUTILADA



Uma paisagem urbana que alcança amplo reconhecimento de sua beleza, integra o patrimônio de um povo. Deve ser protegida, jamais adulterada pelos governantes. Considerar os Fortes de São Diogo, de Santa Maria e o de Santo Antônio como monumentos isolados, como “ilhas” em um vazio, esquecendo seu entorno, contradiz o espírito da legislação pertinente ao patrimônio cultural. Um monumento vem a ser degradado não apenas quando se compromete sua visibilidade ou se descuida de sua manutenção; também é desqualificado quando o espaço que o emoldura ou flanqueia sofre intervenção desfiguradora, como está acontecendo. O conjunto formado por esses fortes e a linha de calçada que os interliga na orla construída, com a correspondente balaustrada, deve ser respeitado: há que levar em conta o valor estético da paisagem como um todo. A alteração das balaustradas ou do piso pode afetar o conjunto de maneira negativa, como está sucedendo. Elevando-se o piso, as balaustradas evidentemente “diminuem”, pois uma proporção é quebrada. E no trecho entre o Farol e o Porto, o piso tem um valor pictórico que afeta o conjunto. Tirar-lhe esse valor, garantido pelo arranjo das pedras portuguesas com um desenho característico, é subtrair qualidade estética à composição da paisagem.



Que a calçada em pedra portuguesa integra conjuntos monumentais harmonizando-se com a arquitetura desta mesma tradição pode-se ver facilmente contemplando logradouros famosos em terras lusitanas; este elemento característico também é componente inseparável de conjuntos arquitetônicos e urbanísticos em Angola e em Macau, onde sua presença compõe uma marca histórica. No Brasil, a pedra portuguesa confere valor estético e caráter memorável a sítios famosos como Copacabana e Ipanema; sua remoção evidentemente descaracterizaria tais sítios. A tese de que as pedras portuguesas provocam necessariamente terríveis traumas ortopédicos é bisonha. Nos muitos lugares em que esse tipo de calçamento tem conservação cuidadosa, tais acidentes não acontecem. Mas nenhum calçamento resiste à negligência na manutenção: haja vista o mau estado dos pisos nas Praças da Piedade e da Sé, em Salvador, colocados há pouco tempo.



Salvador sofre hoje um sério dano ecológico com a perda cada vez mais acentuada de cobertura vegetal tratada como obstáculo para a “urbanização” mutiladora. Na calçada praiana da Barra, tivemos de uma vez 5 árvores de grande porte eliminadas, ao ritmo apressado de uma dispendiosa obra eleitoreira, por iniciativa de uma administração municipal que no período de 4 anos nada tinha feito para a restauração urbanística do bairro: nenhuma conservação, nenhuma provisão de equipamento necessário. Mas pode-se falar em “restauração urbanística”quando se atenta contra a integridade de um conjunto monumental e se despreza a consideração do ambiente?



Sem ponderar o impacto ambiental, a sumária derrubada de árvores, na calada da noite, dificilmente se justifica. O laudo apresentado não é convincente. No mínimo, seria necessária a consulta a botânicos especializados que verificassem, com os competentes exames a respaldar-lhes o diagnóstico, a imperiosa necessidade de abater de uma vez todas essas árvores, por insuscetíveis de tratamento e pela iminência de sua queda (simultânea?) em curtíssimo prazo. A alegação de que as árvores estariam “obstacularizando” o novo meio fio apenas mostra que o projeto de implantação desse novo meio fio se pretende um imperativo superior a qualquer outra consideração. A desarborização implica em desconforto e a proposta de substituir cada árvore abatida na Barra por cinco outras em outro local é cruelmente irônica. É também irônico falar em “revitalização da Barra” com um projeto que não contempla a necessária implantação de banheiros públicos, não inclui o conserto das escadas de acesso à praia, não prevê medidas de conservação, segurança e é omisso no tocante a iluminação. Esse projeto precisa ser divulgado e discutido amplamente. Seus custos devem ser expostos e justificados, pois é o povo que vai arcar com os gastos e seu interesse deve sobrepor-se ao dos empreiteiros. O desfiguramento da cidade implica em subtração da qualidade de vida dos cidadãos.



Ordep Serra

Antropólogo-professor FFCH/UFBA

Morador da Barra há 29 anos

Novidades para o fim do ano!

A Outra Companhia de Teatro está preparando um espetáculo "3 em 1". São três peças diferentes em uma mesma montagem, com textos de autores lusófonos: o angolano José Mena Abrantes, o português José Saramago e o baiano Iderval Miranda. A estréia está prevista para dezembro.


No Cabaré, Rita Carelli e Luiz Antônio Jr. preparam a nova montagem

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Olho de Boi



Começou a corrente positiva em defesa de mais um filme brasileiro. Caso OLHO DE BOI, filme de Hermano Penna, não tenha um público razoável no seu primeiro final de semana de exibição, sairá, sem apelação, de cartaz. Morte injusta e prematura.
Assista o filme, indique aos seus amigos, parentes, colegas de classe e de trabalho.

Visite o Blog: http://olhodeboiofilme.blogspot.com/

E ASSISTA AO FILME!

Estréia dia 15 - próxima sexta-feira!

Quem não entrou para a oficina d'A Outra, tem outra!



O Vila não pára! Tem mais oficina rolando aqui no Teatro.

A de Nível 2 d'A Outra já começou com todas as vagas completas. Nem demorou, o grupo já lançou uma nova turma para iniciantes, a começar em Setembro (veja o post abaixo).

E agora o Vilavox também abriu uma turma. O curso se chama "A musicalidade do ator em ação" e será ministrado por Jacyan Castilho. As aulas já começam neste sábado, dia 16, e vão até 07/09. Sempre aos sábados e domingos, das 09h às 12h30.

Inscrições no Vila, preferencialmente pela manhã.
Ligar para marcar 3083- 4616 ou 8843 2137.

Se jogue!


sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Não deu pra quem quis


Hoje, quando cheguei no Teatro um pouco depois do horário habitual, encontrei com Júnior, d'A Outra, conversando com duas meninas e fazendo cara de "sinto muito". Elas queriam se inscrever na Oficina de Ténicas Teatrais d'A Outra Companhia de Teatro. Júnior explicava que as vagas estavam todas preenchidas. 20.

Amanhã de manhã começa a o estica, corre, pula, cara-de-leão, cara-de-limão, etc.

Essa era a oficina para quem já teve algum contato com teatro. Daí aparecem os que tiveram algum contato, os que tiveram muito contato, mas estão parados e querem se desenferrujar, e eventualmente escapa um ou outro que só fazia imitar os colega na escola e faz um muxoxo pra entrar, e os oficineiros acabam deixando.

Se você ainda se interessa em ter algum contato com teatro, ver como é, suar a camisa e experimentar, não dessa vez, mas tem de novo. Aqui, ó:



Daí, dessa vez, chega mais cedo, e garante a vaga.

Camilo Fróes

Calçadão da Barra


A polêmica segue grande quanto à substituição do calçamento da orla da Barra. Críticas ao projeto não faltam. Defensores também não. E os pareceres são os mais diversos, "dos mais leigos aos mais técnicos" (obrigado, Ciro!).

O que nem todo mundo sabe é que uma ação civil pública no Ministério Público Estadual abriu consulta à população para saber se els concorda ou não com o projeto apresentado. UMA GRANDE CHANCE DE VOCÊ PARTICIPAR DAS DECISÕES DE SUA CIDADE! Não vale ficar só reclamando, né?!
O tempo de votação é curto, então - CORRA!

O endereço para participar é: http://www.mp.ba.gov.br/atuacao/ceama/principal.asp.


Nessa mesma página, logo abaixo do quadro de votação, há alguns links com argumentos das duas opiniões. Faz muito bem lê-los antes de clicar o botão definitivo.

Aproveito e já adianto um deles, o
parecer solicitado pelo Ministério Público à Dra. Ana Fernandes, professora de arquitetura da UFBA e doutora em urbanismo pelo Instituto de Urbanismo de Paris. Clique para ler!


E deixe sua opinião aqui também!!!

Fique ligado!


A companhia Vilavox espalhou pela cidade um monte de postais com a divulgação do espetáculo "Labirintos". Alguns desses estão marcados no verso com uma promoção que dá R$ 10,00 (dez reais) de desconto no valor da entrada inteira para as sessões de sexta-feira.

São muitos, mas a maneira mais garantida de conseguir um desses é com os próprios artistas do grupo.
"Queixe" o seu!

Pensando em Labirintos...

Depoimento sobre Labirintos - peça em cartaz no Vila até o final do mês, de sexta a domingo, 20h.


"Faz dois anos que moro em Salvador. Vim buscar conhecer mais o teatro e descobrir se realmente é isso que quero fazer da minha vida.


O engraçado é que nesse tempo já passei por várias crises e a única coisa que tenho certeza é que, quanto mais dificil é, mais vontade tenho de fazer do teatro minha morada sem fim.
Isso tem motivos e mais um foi mostrado para mim hoje.


Labirintos foi para mim um experiência maravilhosa. Eu sou entusiasta, tomara que continue assim aos 70, mas por enquanto me jogo nas coisas e me joguei sem cordinha neste labirinto de arte, suor, incertezas e vontades.


É por causa de espetáculos como esse que não largo o teatro, choro com a falta de dinheiro e de oportunidades, mas... Quando vejo espetáculos como o de hoje, eu falo pra mim mesma: Porra, é isso que eu quero, é dessa forma que me sinto viva, seja na platéia ou no bastidor de alguma montagem.


Não sei do futuro deste espetáculo, não sei do meu também, mas sempre que me sinto tocada assim tenho a necessidade de falar.


Adorar o espetáculo é pouco: queria ter feito, participado trabalhado por ele.
Diferente, inteligente, simples, belo, mágico e estimulante. Sim, estimulante da minha vontade; vontade de grupo, vontade de Alagoinhas, vontade de teatro.


Parabéns a todos! Tomara que um desses deuses que compõem o teatro faça a névoa da indiferença patrocinadora transformar-se em concretas chuvas de ouro e esta montagem tenha tudo que merece, principalmente vida longa!!!!!!!


Grandes beijos a todos e muito axé!!!!!!


Fernanda Júlia, às 04h17, pensando em Labirintos"

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Estréias da semana na SALADEARTE



PRÉ-ESTRÉIAS


JOY DIVISION
Direção: Grant Gee

LADY JANE
Direção: Robert Guédiguian


ESTRÉIAS

A ÚLTIMA AMANTE
Direção: Catherine Breillat

ROMULUS, MEU PAI
Direção: Richard Roxburgh

FÔLEGO
Direção: Kim Ki-Duk




NÃO ESQUEÇA!
Parceria entre a Sala de Arte e o VILA VELHA!!!
Quem for assistir a um filme em qualquer um dos espaços do CIRCUITO DE CINEMA SALADEARTE pode apresentar o canhoto do ingresso na bilheteria do Vila e pagar apenas meia entrada! O contrário também tá valendo: o canhoto do Vila vale como meia entrada na SALADEARTE. A promoção é válida por até uma semana, a partir da data de emissão do tíquete. Aproveite!

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Abdução?







Os alienígenas vêm mais uma vez nos tirar o sossego.

Gustavo Melo chegou no Vila advogado, virou artista, tava tudo indo e ZUPT. Lázaro Ramos, menino, ator, produtor, diretor e o escambau, os aliens ZAPT. Larissa Alves, assessora de imprensa, cantante encantante, levaram. E ela veio pra ocupar a vaga que Juliana Protásio deixou - a mesma história. Valmyr Ferreira e sua risada inconfundível foi dragado. Pimentel também. Os dois da equipe técnica. Isabela Dantas foi surrupiada e os ETs ainda levaram mais um na ponga. Márcia Menezes está em negociação com os extra-terrenos para retornar em breve. Os estagiários Tito e Lenina sumiram de maneira repentina. "Gabriela Iara" idem ibidem. Tão rápido que nem deu tempo de registrar uma imagem...

Esses dias materializou-se no Vila um comunicado interestelar: eles vêm buscar Luiz Vianna, vulgarmente conhecido por Gustavo Libório, nosso administrador. Decisão tomada, sem direito a qualquer recurso terráqueo. Estamos só aguardando a hora.

Galáxia paulista, Constelação carioca, Nebulosa Global, Buraco Negro Pontogove, Cinturão Africano. Os alienígenas vêm de todos os cantos do espaço sideral para levar os nossos. E assim tem sido.

Esses nomes são alguns exemplos de quem não está mais aqui - movendo nossas engrenagens - mas que, sem dúvidas, continua a fazer parte do Vila. É gente nossa, que a gente gosta e de que sempre se recorda. A lista inteira é enorme! As forças que os tiraram de nosso cotidiano foram as mais diversas. Ficamos, contudo, muito felizes em continuar tendo notícias suas, mesmo à distância. E, melhor: de saber que estão bem.


Povo do Vila, Vilavelhos, Caros Colegas, Amigos. Quando puderem, apareçam!

só mais 5 vagas...


Não se esqueça que neste sábado começa a "Oficina de Técnicas Teatrais d'A Outra", destinada a pessoas que já têm algum contato com as artes cênicas. A procura tem sido intensa e agora só restam 5 vagas. Portanto, se adiante!

A oficina ocorre aos sábados e domingos, das 9 às 12h da manhã, com duração até o final do mês de outubro. O custo é de R$ 120,00 por mês. Os interessados devem ter acima de 16 anos.



Aproveito para anunciar, em primeiríssima mão, que o pleito de todos aqueles que ligam ou escrevem diariamente para o Vila perguntando por oficinas para iniciantes foi atendido: em setembro A Outra Companhia de Teatro vai oferecer também este curso!

Para saber o período exato e não perder a matrícula, acompanhe as notícias do teatro aqui no Blog, no site ou pelo informativo que enviamos semanalmente por email. Se você ainda não o recebe, mande uma mensagem para o endereço informativo-do-vila-subscribe@googlegroups.com.

E Boa Sorte!

A Mídia e o Alfinete



No último sábado, a coluna Tempo Presente, do jornal A Tarde publicou a nota "Namoro pára o trânsito", em que, sem uma motivação clara, "alfineta" o Secretário da Cultura Márcio Meirelles.

Longe de querer manchar a reputação de um dos veículos mais respeitados do estado, ou do colunista responsável por aquele espaço, minha questão é mais sobre cidadania e a banalização da função da imprensa na sociedade. Não quero me alongar demais, porque posto a seguir a referida nota e a carta escrita por Meirelles em resposta a ela - que já dizem bastante. As leituras individuais façam seus entendimentos.

Não posso, entretanto, deixar de levantar a necessidade de atenção por parte dos cidadãos sobre a atuação da mídia. É comum - e saudável até - o hábito de "cutucar" pessoas públicas, mas isso não pode prescindir à responsabilidade.

A gente dança no espaço que nos cabe. Devemos, pois - nós, entes dos mais diversos organismos sociais, ocupar nossos lugares devidamente. É a tal da "proatividade". O direito à voz é de todos e seu uso correto pode evitar abusos outros.

Ontem, como reflexo da manifestação de Meirelles, saiu nova nota na coluna com esclarecimentos sobre o publicado anteriormente. Isso mostra como é importante participar. Às vezes esquecemos que também somos responsáveis pela construção das notícias, que podemos e devemos contribuir. E quanto mais, sempre melhor. Eis a democracia.

Aproveite e participe agora: comente aqui no Blog!

Seguem links para os textos:

"NAMORO PÁRA O TRÂNSITO" - Coluna Tempo Presente, A Tarde. Sábado, 02/08.

"CARTA ABERTA AOS SENHORES SYLVIO SIMÕES, FLORISVALDO MATTOS E EDIVALDO BOAVENTURA" - Resposta de Márcio Meirelles, segunda (04/08).

"TUDO EM CASA" - Coluna Tempo Presente, A Tarde. Terça-feira, 05/08.

Postais do Vila


Esse é o novo postal do Vila, que circula este mês nos displays espalhados por Salvador:






Fotografia de Carol Garcia para divulgação do espetáculo "Labirintos", do Vilavox. Em cartaz até o final do mês aqui no Teatro. Na foto, Bruno Guimarães e Leandro Villa.

Gostaram?

Até o final do mês deve sair uma super coleção com 52 tipos diferentes de postais inéditos, com imagens de todos os espetáculos montados pelo Vila desde 1998. O lançamento desse material é comemorativo aos 10 anos de reconstrução do Teatro. Cada modelo tem tiragem de 1.000 exemplares - um bom número, porém, limitado - e traz no verso informações essenciais sobre a montagem, além de dados técnicos e nomes dos artistas que aparecem na imagem. Uma jóia para colecionadores! Quem quiser vai ter que ficar ligado.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Tem "Bai Bai, Pelô" toda segunda!



Os alunos em cena

Em agosto, todas as segundas-feiras têm "Bai Bai, Pelô" no Cabaré

Depois de se apresentarem para uma platéia em torno de 400 pessoas no Palco Principal do Vila (onde o normal é 350) e de repetirem o sucesso no Centro Cultural de Plataforma, os alunos da Oficina de Performance Negra, do Bando de Teatro Olodum, iniciam hoje temporada de "Bai Bai, Pelô" no Cabaré dos Novos, no Vila. Serão quatro apresentações, sempre às segundas-feiras, até o final do mês. Começa às 19h30 - não se atrase!

E quem já viu pode ver de novo!

Ingressos a preços populares: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia-entrada).

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Hoje: Grande estréia de "Labirintos"!


“Labirintos” é o nome do espetáculo que estréia hoje, aqui no Vila. Criado pela companhia Vilavox - um de nossos grupos residentes - e dirigida por Patrick Campbell, a peça é inspirada nos mitos gregos de Teseu e o Minotauro, A Paixão de Pasífae e Dédalo e o vôo de Ícaro. As três histórias escolhidas têm em comum a relação direta com a construção do labirinto no qual está encarcerado a figura do Minotauro - um ser metade homem, metade touro. É nesse espaço mitológico que elas se encontram, numa sobreposição de imagens e fato que remetem ao inconsciente e suas tantas relações.

Um dos traços mais instigantes da montagem é que o público percorre junto com os personagens os corredores misteriosos por onde a trama se desenrola (ou se enrola ainda mais). Para tal, a produção explora como espaço cênico, além do Palco Principal e do Cabaré dos Novos, o foyer, corredores e dependências do Teatro e até uma área do passeio público, transformando-os em
um grande labirinto onde a relação entre razão e irracionalidade – tema principal dos três mitos – é o fio condutor da cena.

Movimento, canto, técnicas circenses, vôos, jogos de luz, sonoridades e experimentações são recursos narrativos que tornam ainda mais encantadora a experiência de adentrar pelos labirintos do pensamento.

A temporada segue até o final do mês, sempre de sexta a domingo, com início às 20 horas.