sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Dança! Muita Dança!


Os alunos da oficina do Ponto de Cultura “Preparação Corporal para a Cena”, ministrada pelo integrante da Cia Viladança Jairson Bispo, são convidados especiais para a estréia do EIC – Encontro de Investigação Coreográfica, que acontece de hoje a domingo (30/11, 01 e 02/12).


A oficina foi uma das mais procuradas do Ponto e, também, uma das que mais rendeu. “Foram dois meses de oficina porque os alunos quiseram que as aulas se prolongassem. Eles pediram para o coordenador, Fábio Espírito Santo, e ele topou”, conta Jairson. Os alunos já faziam atividades de artes cênicas em comunidades de Salvador e participaram da oficina para aprimorar a utilização do corpo e a postura. “Foi uma experiência maravilhosa. Tive muito retorno com este trabalho e aprendi muito também”, comemora o professor.
Jairson Bispo. Foto: João Meirelles.

O EIC é um novo projeto de dança na Bahia, organizado pela Cia Viladança. A proposta é fazer um rico encontro de investigação de novas idéias artísticas. O espetáculo é composto por coreografias de Sergio Diaz, Janahina Santos, Bárbara Barbará, Leandro de Oliveira e Ricardo Fagundes, todos integrantes do Viladança, que apresentam nessa primeira edição o resultado de suas experiências criativas. Venha ver!

EIC – Encontro de Investigação Coreográfica (Dança)
Realização: Cia Vilandança
Temporada: 30/11, 01 e 02/12, sexta, sábado e domingo
Onde: Palco Principal do Teatro Vila Velha
Horários: 20h Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

Iara Colina


Quem está em Salvador e passou aqui no Vila ontem pra fazer uma visitinha e matar a saudade foi a atriz Iara Colina. Ela, que integra a Cia Teatro dos Novos (CTN), está morando no Rio de Janeiro há cerca de quatro meses, para onde foi em busca de novos desafios profissionais. Em terras cariocas, Iara está participando de workshops de capacitação e também ministrando oficina de teatro na Casa da Gávea. Em janeiro, Iara vem novamente a Salvador, dessa vez pra orientar a Oficina de Teatro para iniciantes no projeto Vila Verão. A oficina vai acontecer durante todo o mês de janeiro a partir do dia 09, às quartas e sextas-feiras, das 19h às 22h, aqui mesmo no Vila (nos dias 26 e 27 rola uma mostra de todas as oficinas do Vila Verão). A oficina custa R$ 120 e terá inscrições abertas a partir de segunda-feira (03/12), aqui no Vila!


Foto: Larissa Alves

Verão!!!!!!!!!!!!


O Verão está chegando e, com ele, a programação mais aguardada da estação do Sol. As Oficinas Vila Verão, mais uma vez, vão fazer a alegria da galera. As aulas vão acontecer de 07 a 27 de janeiro e na programação tem cursos nas áreas de teatro, dança, música, vídeo e projetos culturais, para profissionais e iniciantes. As inscrições poderão ser feitas do dia 03 de dezembro até 04 de janeiro de 2008, no Vila, de segunda a sexta, das 09 às 17h, ou através do site www.teatrovilavelha.com.br . Os preços variam entre R$ 60 e R$ 120. Corre pra garantir a sua vaga! Informações: (71) 3083-4621/4600.

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

PROCURA-SE ESTAGIÁRIO (A)



É com grande tristeza no meu coração que me despeço do Núcleo de Comunicação do Teatro Vila Velha. Vou pôr um ponto final na arte de estagiar, já que estou subindo um degrau e me formo em dezembro. O estágio termina, mas eu sempre estarei aqui nas peças e eventos e até pra fazer uma singela visitinha mesmo. Mas deixa pra lá essas chorumelas e vamos ao que interessa!

Se você faz Comunicação Social com habilitação em Jornalismo ou Relações Públicas e sempre teve vontade de trabalhar na assessoria de um teatro, o Vila abre as portas pra você, meu velho! Você precisa ter disponibilidade de estagiar pela manhã, ter um bom texto – isso é imprescindível -, se identificar com a área de comunicação cultural, ter noções de ferramentas de internet (blog, site) e ter bom humor pra rir de tudo que for piadinha. Achou que era fácil, foi?

Se você se encaixa nesse perfil, envie para gente (exu@teatrovilavelha.com.br) seu currículo e dois ou três textos (matérias, resenhas e crônicas) até o dia 07 de dezembro. Entraremos em contato pra dizer se você foi selecionado ou não para a entrevista. Quanto à entrevista... Ah, isso é outra história. Boa sorte!

Lenina Uzêda.

Preto na Mídia



Foto: Divulgação.

O ator Jorge Washington participou ontem, 28, no Museu Eugenio Teixeira Leal, Pelourinho, do Seminário "Preto na mídia", que reuniu a jornalista Sueide Kintê (TVE), o publicitário Paulo Rogério Nunes, do Instituto Mídia Étnica, Laise Helena, da Cipó Comunicação Interativa, Osvalrisio Conceição, do Ilê Aiyê e Tânia Tôko, atriz de Ó paí ó e ex-integrante do Bando de Teatro Olodum. Durante o encontro, Jorge, um dos fundadores do Bando, falou da trajetória de 17 anos do grupo, as dificuldades e desafios e o processo atual de produção da série inspirada no sucesso Ó Paí ó, para a Rede Globo de Televisão. Em janeiro de 2008, o Bando de Teatro Olodum volta à cena com os espetáculos Áfricas e Ó Paí ó, dentro da programação do projeto Vila Verão.

O Vila por ele mesmo


“Conhece-te a ti mesmo”, disse o filósofo. O Vila entrou na onda de Sócrates e está vivendo um momento de auto-reflexão. A fase é de planejamento estratégico e isso tem gerado uma série de ações voltadas para o desenvolvimento do teatro. Um delas, o Seminário Interno “Vila Velha: quem somos e como funcionamos”, reuniu cerca de 60 pessoas, entre artistas, funcionários e colaboradores, no Cabaré dos Novos, no último dia 26 de novembro.



A galera tava prestando atenção. Foto: Camilo Fróes.

Foram quase 6 horas de apresentações sobre a história, a estrutura, a missão, os grupos de trabalho e os grupos residentes do teatro. Tudo com muito humor e descontração, características do povo do Vila. Pra agradar o paladar e agüentar o segundo round das apresentações, a galera caiu num sopão delicioso servido no bar.

A hora da boquinha. Foto: Larissa Alves.


No final do encontro, que acabou às 22h, o espaço foi aberto para dúvidas, críticas, observações, sugestões e proposições, o que gerou um material bacana, que vai circular no teatro e, quem sabe, ajudar a implantar melhorias por aqui.


"Xiii, apertei o end de novo..." ( Gordo Neto, ator e controlar do power point)
Foto: Camilo Fróes.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Carta do professor Abdias ao presidente Lula


Senhor Presidente da República, nosso querido Lula,
Saudações quilombistas no Dia Nacional da Consciência Negra.

Tenho recebido das mãos de Vossa Excelência honrarias que muito me orgulham, e que recebo em nome do povo afrodescendente deste País, pois entendo que os méritos a ele pertencem. Por isto não poderia deixar de me manifestar no dia de hoje ao povo negro, a todo o povo brasileiro, e a nossos governantes, na pessoa de Vossa Excelência, pois a felicidade do negro, como disse o poeta, é uma felicidade guerreira.


Enquanto muito me alegram e me honram a outorga da Grã Cruz da Ordem do Mérito Cultural e a minha inclusão na mais alta classe da Ordem do Rio Branco, observo que as desigualdades raciais no Brasil continuam agudas e profundas. Diariamente recebo notícias de pesquisas quantitativas que confirmam este fato. Só no dia de hoje, por exemplo, soubemos por pesquisadores da UFRJ que as principais causas de mortalidade de homens negros são violentas, como homicídios, enquanto os brancos morrem mais por doenças. Ainda hoje, também, soubemos que a Fundação SEADE concluiu que brancos ocupam quatro vezes mais cargos executivas que negros.


Setores poderosos, detentores dos meios de comunicação de massa no país, estão deflagrando uma campanha no sentido de desacreditar essas estatísticas e vilipendiar aqueles, como Vossa Excelência, que pensam na necessidade de políticas públicas de combate a essas desigualdades. Novamente nos acusam de racismo, usando o falso argumento de que o critério de classificação racial, e não a realidade social, causa divisões perigosas em nossa sociedade. Há décadas os intelectuais negros afirmam que raça nada tem a ver com biologia ou genética, mas que, como categoria socialmente construída, é uma dura realidade discriminatória baseada em características de aparência.


Senhor Presidente, suas recentes visitas à África somadas a outras iniciativas como a promulgação da lei 10.639/03 e a implantação da política de cotas reparatórias nas universidades têm propiciado um novo clima que permite debater questões sérias que vinham sendo ocultadas ou negadas pelas elites entrincheiradas no mundo acadêmico e no universo da mídia. Ora, diante de um momento tão encorajador, fomentam, com crescente agressividade, essa campanha desestabilizadora da sociedade, em que a desinformação deliberada rivaliza com a malevolência racista, e que objetiva intimidar todo um povo e enganar toda uma nação.

Assistimos como, na casa dos representantes do povo, após receber com grande repercussão os porta-vozes dessa campanha, se mandou "calar a boca" aos negros que usaram de seu legítimo direito democrático de apresentar as suas demandas. Assusta pensar que legisladores capazes de semelhante agressão se pronunciarão, daqui a alguns meses, sobre o Estatuto da Igualdade Racial, cujas propostas abrem novas perspectivas para melhorar as relações sociorraciais e trazer um vento de esperança à população negra preterida.


Senhor Presidente, hoje a Ministra da SEPPIR, nossa querida Matilde Ribeiro, lhe apresenta o Plano Nacional de Promoção da Igualdade Racial, fruto de todo um processo de deliberações para a construção dessas políticas públicas. Venho hoje lhe convocar a não esmorecer na sua decisão de implementá-las, pois nossa população aguarda políticas efetivas, o que significa investimento de recursos humanos e orçamentários.


Há muito tempo os economistas comprometidos com o povo brasileiro vêm falando que o nosso país precisa crescer, para valer, para absorver as legiões de jovens que, a cada ano, procuram ingressar no mercado de trabalho. Estamos acumulando décadas perdidas com a falta de desenvolvimento econômico intensivo em emprego, com a transversalidade de raça e gênero, associada à redução do papel do Estado na área social. Como conseqüência, os problemas sociais vêm atingindo patamares perigosos. Haja vista a violência em nossas cidades que alcança índices de genocídio entre a juventude negra e favelada.

Reconheço o grande avanço que significa a Lei 10 639/03, que visa fazer o resgate de nossa história e de nossa memória e torná-las patrimônio cultural de todo o povo brasileiro, mas tenho que elevar a minha voz para dizer que esta lei não está sendo cumprida, ou tem a sua implementação dificultada, por todos aqueles que não querem mudanças nas relações de dominação racial em nosso país.


Reconheço o avanço contido no Programa Brasil Quilombola, e convoco Vossa Excelência a continuar investindo cada vez mais neste setor, apesar da campanha de mídia que caracteriza programas dessa natureza como criminosos e racistas, no intuito de desmoralizá-los e favorecer os interesses fundiários estabelecidos. Deflagra-se, ainda, uma onda de violência, também no intuito de favorecer tais interesses, tendo sido hoje assassinado um quilombola no estado do Espírito Santo. É preciso avançar nas titulações e fazer valer os direitos das comunidades quilombolas contra as ameaças constantes de despejo de seus territórios. Não podemos, com coerência, celebrar Zumbi do Quilombo dos Palmares, herói nacional, enquanto as populações dos quilombos do Brasil são agredidas e têm seus direitos desrespeitados!

Aliás, na qualidade de co-fundador e ex-presidente do Memorial Zumbi, movimento da sociedade civil que conduziu à criação da Fundação Cultural Palmares e à desapropriação das terras da Serra da Barriga, venho lhe indagar como, no ato cívico realizado ontem nas terras de Palmares, faltaram as bandeiras do Brasil, do Estado de Alagoas, e do Município de União dos Palmares. Trata-se de um simbolismo fundamental. Esta data, esta luta e as políticas públicas de igualdade racial são bandeiras do Brasil e de seus governos locais e estaduais, não só dos afrodescendentes!


Finalmente, quero dizer que tenho fé nas forças que querem transformar o meu país. Também nutro a convicção maior de que as energias que brotam do coração de Zumbi dos Palmares e de todos os nossos ancestrais ampliarão, cada vez mais, a consciência negra neste país. De negros e de brancos que sonham o sonho bom da liberdade e da justiça.

Por isto, Senhor Presidente, aceite nossas saudações quilombistas, pois o quilombismo é uma proposta para a Nação. Zumbi vive em nós, homens e mulheres da resistência anti-racismo e da construção de um Brasil justo e democrático. Axé!

Abdias Nascimento
Professor

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Ponto de Cultura no EIC



Coreografia "Despedidas". Foto: João Meirelles


O EIC - Encontro de Investigação Coreográfica, que acontece nos próximos dias 30 de novembro, 01 e 02 de dezembro, promoveu uma articulação com o projeto Vila Ponto de Cultura. Os alunos da oficina de Iniciação à Técnica Teatral, um dos cursos promovidos pelo Ponto, estão participando da montagem do cenário e da Iluminação do espetáculo. A iniciativa integra a extensão prática da oficina, que foi finalizada no dia 31 de outubro.

Além disso, cinco Pontos de Cultura de Salvador foram convidados a assistir ao espetáculo. Representantes e alunos do Centro de Cultura da Liberdade, do Solar Boa Vista, da Arte Viva e da Pierre Verger virão ao Vila Velha ver o EIC.

Venha ver você também!



EIC - Encontro de Investigação Coreográfica
30 de novembro, 01 e 02 de dezembro
Sexta, sábado e domingo
às 20h no Palco Principal do Teatro Vila Velha
Ingresso: r$10,00 (inteira) r$5,00 (meia)

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Mostra Tomaladacá

Gruporacaso no ensaio da mostra

O projeto Tomaladacá, promovido pelo Teatro Vila Velha, realiza uma mostra com o resultado dos trabalhos realizados durante o ano de 2007. O projeto desenvolve atividades de intercambio artístico e técnico entre grupos de teatro e dança oriundos de comunidades, escolas, sindicatos ou associações de Salvador e do interior da Bahia. Nos encontros, acontecem mostras de cenas, oficinas, workshops, aulas de dança e teatro, visitas técnicas, além de acompanhamento dos processos de construção dos grupos.

Na mostra, cada grupo apresentará esquetes de 15 minutos dos seus espetáculos originais. Os grupos são: Kalaboca com o espetáculo Leonídia; Grupo Topa, com a montagem O Pequeno Príncipe; Gruporacaso, apresentando A Mulher que Rejeitou Santo Antônio; Grupo Viver com Cultura Afrodescendente com o espetáculo de dança Encontro das Águas; Grupo Resistência com a peça A Longa Noite; Grupo Beje Eró, com o espetáculo A Nossa Vila e o Grupo 2ª Opinião com a montagem Opinião por Assinatura.

Serviço
O que: Mostra Tomaladacá
Quando: 09/12, 10h
Onde: Palco Principal do Teatro Vila Velha
Entrada Franca

Novidades da Novos Novos


O filme Esses moços, do cineasta baiano José Araripe Júnior, recebeu o prêmio de melhor atriz coadjuvante para Chayend dos Santos, no 2º Festival do Paraná de Cinema Brasileiro-Latino. O festival reuniu diversos longas-metragens, curtas e também documentários de várias partes do Brasil e da América Latina (http://www.festivaldecinema.pr.gov.br/). Para comemorar o feito, o filme será exibido no Cabaré dos Novos do Teatro Vila Velha (Passeio Público – Campo Grande), dia 27 de novembro (terça-feira), às 19h, com entrada gratuita. Chayend dos Santos, hoje com 15 anos de idade, foi escolhida pelo cineasta José Araripe dentre os integrantes do elenco da Companhia Novos Novos.

Aproveitando a ocasião, a Companhia lança o livro Diferentes iguais, que traz o texto da peça apresentada em 2006, assinado por Fábio Espírito Santo e EdsonR, e mais reflexões sobre a montagem e o fazer teatro. Além disso, o livro traz fotos desta montagem que foi a quarta peça do repertório da Novos Novos, grupo dirigido por Débora Landim. A peça Diferentes iguais estreou em Manchester, na Inglaterra, e cumpriu temporadas no Cabaré dos Novos e no palco principal do Teatro Vila Velha. O lançamento do livro é o desfecho de todo o projeto Vila Novos Novos II, que teve patrocínio da Coelba, através do Fazcultura. O projeto possibilitou oficinas gratuitas para crianças e jovens, viabilizou a peça Diferentes iguais e, por fim, gera o livro agora lançado. O preço de cada exemplar é R$ 5.

Este é o segundo livro da Companhia Novos Novos, que lançou, em 2005, um título com as três primeiras peças de seu repertório, todas de autoria de EdsonR (Imagina só...Aventura do fazer; Mundo Novo Mundo; Alices e Camaleões).

Serviço
O que: Exibição do filme “Esses Moços” / Lançamento de novo livro dos Novos Novos
Quando: 27/11 (terça-feira), às 19h
Onde: Cabaré dos Novos do Teatro Vila Velha
Entrada Franca


quinta-feira, 22 de novembro de 2007

10 anos especiais


Foto: Márcio Lima
O Bando de Teatro Olodum vai comemorar os 10 anos de Cabaré da Rrrraça em alto estilo, recebendo artistas convidados que marcaram a trajetória do grupo. Na sexta-feira (23), a peça recebe a participação especial da diva do samba baiano Mariene de Castro e do peso dos tambores do Ilê Aiyê. No sábado (24), é a vez do intérprete do hit “Ó Paí Ó”, Jauperi. Já Lazzo Matumbi entra em cena no domingo (25), último dia da curta temporada do espetáculo.

Mariene de Castro participa da comemoração. Foto: Edgar de Souza.

Venha conferir a peça, que traz novidades como figurino inédito e vídeo, e aproveite pra visitar a exposição de fotos comemorativa dos 10 anos. A mostra ocupará todo foyer do Teatro Vila Velha e trará fotos e objetos que contam a história do espetáculo, como figurinos antigos, cartazes e outros materiais gráficos. Além do empenho de todo o elenco, a exposição segue as orientações técnicas da atriz Cássia Vale, que também é museóloga.

Jauperi também comemora com o Bando. Foto: Divulgação.
Serviço
O que: Cabaré da Rrrraça (Teatro)
Direção: Márcio Meirelles
Elenco: Bando de Teatro Olodum
Texto: Marcio Meirelles/Bando de Teatro Olodum
Temporada: 23, 24 e 25/11
Onde: Palco Principal do Teatro Vila Velha
Horários: 20h Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

O Fórum de Dança da Bahia convida...



PENÚLTIMA REUNIÃO GERAL DO FÓRUM DE DANÇA - 2007.

dia- 22/11/2007
hora- 12h30
local- Escola de Dança da UFBA

PAUTA
- Apresentação dos encaminhamentos feitos pelas recém-criadas Comissões de Trabalhos;
- Organização dos trabalhos de encerramento das atividades do Fórum relativas ao ano de 2007;
- Encaminhamentos sobre o Dia D da Dança para o ano de 2008;
- O que ocorrer.

terça-feira, 20 de novembro de 2007

10 anos de Cabaré da Rrrrraça!!!


Hoje é o dia da Consciência Negra e, marcando essa data tão importante, o Bando de Teatro Olodum comemora os 10 anos de estréia do maior sucesso do repertório do grupo, "Cabaré da Rrrrraça", com uma curtíssima temporada no próximo final de semana, 23, 24 e 25 de novembro.


Foto: Márcio Lima

A revista musical dirigida por Márcio Meirelles une humor e questionamento sobre o racismo brasileiro. O elenco do Bando dá voz a personagens marcantes como o 'Patrocinado', 'Negro Fudido', a 'cantora Flávia Carine', 'Edileuza', entre outros, que revelam as expressões do preconceito racial, desde as mais sutis até as mais agressivas. Graças à atualidade do tema e ingredientes como interatividade com o público, músicas ao vivo e o humor escrachado, marcas registradas do Bando, Cabaré da Rrrrrraça, ao longo desses dez anos, vem atraindo milhares de espectadores em diversas cidades do Brasil e em Angola, onde se apresentou em 2006.


Foto: Márcio Lima

O aniversário será comemorado com exposição e vídeo sobre o espetáculo, e apresentações especiais com novo figurino, convidados surpresa e muitas novidades. Entre os convidados estão a cantora Mariene de Castro e os cantores Jauperi e Lazzo Matumbi, além da banda do Ilê Aiyê.


Foto: Márcio Lima

Serviço
O que: Cabaré da Rrrraça (Teatro)
Direção: Márcio Meirelles
Elenco: Bando de Teatro Olodum
Texto: Marcio Meirelles/Bando de Teatro Olodum
Temporada: 23, 24 e 25/11
Onde: Palco Principal do Teatro Vila Velha
Horários: 20h Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Viladança estréia EIC


A Companhia Viladança prepara mais um novo projeto para a dança na Bahia. O EIC - Encontro Investigação Coreográfica vai acontecer nos dias 30 de novembro, 01 e 02 de dezembro. A estréia vem contribuir com o campo da pesquisa e criação da dança contemporânea, dando asas à imaginação e corpo ao talento de artistas baianos. O público poderá conferir um espetáculo de dança diferente, formado por coreografias criadas através da pesquisa individual de integrantes da Companhia Viladança. Cinco artistas compõem o projeto: Sergio Diaz, Janahina Santos, Bárbara Barbará, Leandro de Oliveira e Ricardo Fagundes, que apresentam nessa primeira edição o resultado de suas experiências criativas, interpretadas pelo próprio elenco da Companhia e dois atores convidados.

Confira alguns cliques de João Meirelles no ensaio fotográfico do EIC:





O VILA É UM PONTO

Por Fábio Espírito Santo

Neste semestre, Teatro Vila Velha promoveu uma série de oficinas artísticas como parte das atividades do Ponto de Cultura, contando com a participação de mais de 130 jovens de grupos artísticos da Bahia. Divididos em quatro turmas, os alunos integraram as quatro diferentes oficinas de iniciação: “Assessoria de imprensa para grupos artísticos”, ministrada pela jornalista Juliana Protásio; “Figurino e Maguiagem”, com o figurinista Luiz Santana; “Preparação Corporal para a Cena”, com o bailarino Jairlson Bispo e a oficina de “Técnica Teatral (iluminação cênica/cenografia/sonorização)”, coordenada pelos iluminadores Fábio Espírito Santo e Rivaldo Rio, os iluminotécnicos Márcio Pimentel e Luciano Assis, a cenógrafa Lorena Peixoto e o técnico de som Maurício Roque.


Café da manhã de confraternização de uma das turmas das Oficinas do Ponto


Durante os três meses de atividades, os alunos adquiriram os conhecimentos básicos das respectivas áreas através de aulas teóricas e práticas. Além das aulas formais, os alunos tiveram a oportunidade de realizar visitas técnicas a teatros e museus, como também receberam convites para assistir espetáculos de teatro e dança em cartaz na cidade, servindo como material de análise durante as aulas. Dentre os espetáculos que os alunos puderam assistir, estão: “Da ponta da língua a ponta do pé”, “Rerembelde”, “Ciranda do medo”, “Áfricas”, “Canteiros de Rosa”, “Arlequim-servidor de dois patrões”, “A geladeira”, todas produções dos próprios grupos residentes do Teatro Vila Velha, além de “Shopping and Funcking” e “Filo pelo fino da finestra”.

Os alunos de “Assessoria de imprensa para grupos artísticos”, também tiveram a oportunidade de participar de um bate-papo sobre jornalismo cultural que contou com a participação do professor de jornalismo e produtor cultural Cláudio Manoel; de Ana Paula Vargas, assessora de imprensa da Fundação Cultural da Bahia e do repórter do caderno 10 (jornal A Tarde), Pedro Fernandes. Eles falaram da relação entre o assessor de imprensa e o repórter de jornal e sobre os mecanismos de divulgação da grande mídia. Para Michele Maia, uma das participantes e que, atualmente, faz o curso de produção cultural , “o curso acendeu uma ‘luzinha’ em mim, despertou a vontade de fazer comunicação”. Para Anativo Oliveira, outro aluno e integrante do Ponto de Cultura Beje Eró, “a oficina foi fantástica, termina com gosto de quero mais”.

Na oficina de “Figurino e maquiagem”, além de visita ao Centro Técnico do Teatro Castro Alves, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer o Museu do Traje Henriqueta Catarino, conhecendo um pouco mais sobre a história do vestuário.


Aula de cenografia dentro da oficina de “Técnica Teatral”


Além das atividades práticas de iluminação cênica, sonorização e cenografia presentes na montagem de um espetáculo, os integrantes da oficina de Iniciação à Técnica Teatral, participaram também da manutenção dos equipamentos do próprio Vila Velha e do Teatro Gamboa, conhecendo melhor a caixa cênica e os equipamentos presentes nestes espaços.


Os alunos da oficina de “Iniciação à Técnica Teatral”, numa atividade prática no Teatro Gamboa


Como trabalho final do curso, os alunos produziram uma primeira concepção de cenário e iluminação para um espetáculo fictício, colocando em prática o conteúdo oferecido durante os dias de aula, como também, realizaram um pequeno estágio, participando das montagens dos espetáculos que estiveram em cartaz no próprio Vila. “Adorei a oficina! Foi muito bacana e, como trabalho também com fotografia e audiovisual, as aulas de iluminação cênica foram muito bem aproveitadas”, disse o aluno Ângelo Rosário. “A oficina foi muito construtiva, bem trabalhada tanto na prática como na teoria e ficou mais fácil de entender as montagens, os agrupamentos, a identificação dos equipamentos, tipos de lâmpadas e ferramentas”, disse Jaqueline Santos, aluna do curso. “estou ansioso que uma próxima oficina como essa seja realizada e quem sabe até mesmo o curso profissionalizante que tanto esperamos”, disse Thiago Cerqueira, mais um integrante.


Projetos de cenografia e iluminação dos alunos


Agora no final de novembro, encerra a última oficina: “Preparação corporal para a cena”, que teve seu período prorrogado a pedido dos alunos. E se depender da vontade deles, no próximo ano tem mais! Porque o vila é um ponto de cultura!

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Seminário Interno

ATENÇÃO, POVO DO VILA!

No próximo dia 26 de novembro (segunda-feira), a partir das 16h, o Vila vai promover o seminário interno "O Teatro Vila Velha – Quem somos e como funcionamos". Pedimos que todos os grupos residentes, funcionários e prestadores de serviço se programem para participar, afinal de contas, o Vila Velha somos todos nós!

Programação:

16h às 18h30 – Apresentação dos grupos de trabalho sobre a história, a estrutura e os grupos artísticos do TVV.

18h30 às 19h – Pausa para lanche.

19h às 22h – Escuta e anotação das sugestões e críticas dos funcionários, artistas e prestadores de serviço do TVV e resposta às questões levantadas.

Até lá!

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Os jornais invadiram o Vila!


Imagine aí 10 toneladas de jornal?! É muito jornal! Pois fique sabendo que acabaram de chegar 10 TONELADAS de jornal aqui no Vila. Os exemplares - que foram doados pela Folha de São Paulo e vieram de caminhão da capital paulista até aqui - fazem parte do cenário do espetáculo português A MINHA MULHER, dirigido por Solveig Nordlund.


A galera se virando pra empilhar tanto jornal. Foto: Camilo Fróes.

A peça se apresenta gratuitamente nos próximos dias 16 e 17 de novembro (sexta e sábado) no Vila. A iniciativa é resultado do Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia António José da Silva, promovido em parceria pelo Instituto Camões, a Funarte, o Instituto das Artes e o Teatro Nacional D. Maria II. O objetivo é promover o incremento das relações culturais entre Portugal e Brasil.

O espetáculo é o seguinte: uma família burguesa (pai, mãe, filho, nora e uma prima) passa o Verão no arquipélago de Estocolmo, quando aparece um amigo do jovem casal. A partir disso, entra em cena uma reflexão sobre a memória, as repetições e o amor. O texto é uma adaptação de “Brincar com o Fogo”, de Strindberg, e trata da crueza de situações da vida diária e das convenções sociais.


Haja jornal! Foto: Camilo Fróes.

E o que os jornais fazem no cenário? Segundo Ulisses Cohen, responsável pela cenografia da peça, a história é cíclica e, a todo momento, faz referência aos jornais, às informações fúteis, supérfluas e passageiras, a assuntos antigos guardados e amontoados no cenário familiar.

As senhas para o espetáculo começarão a ser distribuídas às 19h. Chegue cedo e garanta a sua!


Cena do espetáculo. Foto: Margarida Dias.

Feijão no prato e samba no pé

PREPARE-SE!

O ano de 2007 não foi dos melhores em termos financeiros, mas nem por isso o Vila deixa de comemorar e de fazer festa. A última programação do ano no teatro foi pensada para atrair boas vibrações para o ano que vem e também para arrecadar verbas. A Feijoada da Sustança vai acontecer no dia 16 de dezembro, domingo, a partir das 13h. Animando a festa, estará o grupo Samba de Roda Urbano, comandado por Toti Gira e Lobo Mau. Na programação, surpresas e muita animação, além do samba e da deliciosa feijoada. Todos os amigos do Vila estão convidados!

O que: Feijoada da Sustança – com Samba de Roda Urbano
Quando: 16 de dezembro, 13h
Quanto: R$ 10 (samba e feijoada). Ingressos à venda na bilheteria do teatro.
Onde: Teatro Vila Velha


Pontão de Cultura em Belo Horizonte


O Teatro Vila Velha participou de um dos maiores encontros de diversidade cultural no Brasil, A TEIA, que aconteceu entre os dias 07 e 11 de novembro, em Belo Horizonte-MG. Em sua segunda edição, o evento reuniu representantes de mais de 600 Pontos de Cultura participantes do Programa Nacional de Cultura, Educação e Cidadania, promovido pelo Ministério da Cultura. Para representar o Vila Velha, estiveram no evento Fábio Espírito Santo e Marísia Mota, coordenadores do projeto aqui no teatro, e Cristina Castro, diretora do Viladança, um dos grupos residentes do Vila.

Para Cristina, o grande saldo do evento foi conhecer mais da cultura no Brasil. Os pontos de cultura das outras regiões ampliaram sua forma de ver e pensar cultura. “Participei de palestras e também fiz contatos com pessoas de outros estados, a exemplo do Rio de Janeiro, São Paulo e Ceará. A Teia foi um verdadeiro encontro de comunicação para as diversidades culturais, que se reconheceram no evento”, concluiu.


Maracatu Estrela de Ouro (PE) no Parque Municipal. Foto: Élcio Paraíso

O presidente Luis Inácio Lula da Silva e o ministro da Cultura Gilberto Gil também estiveram presentes no encontro, que teve diversos convidados ilustres, entre eles o escritor Ariano Suassuna. Em quatro dias de encontro, aconteceram aulas-espetáculo, conferências, mesas redondas, mostras de teatro e de artes visuais, exibição de documentários, animações e curtas, palco ao ar livre, orquestra de violinos, violeiros repentistas, shows, composições de cordéis e músicas, oficina de jornalismo cultural, oficinas temáticas e encontro de teatro de bonecos, dentre outras atividades.

Nesse ano, as discussões que permearam A TEIA giraram em torno do tema Cultura e Educação. Com o encontro presencial, a proposta do Ministério da Cultura é construir, de forma sistematizada, organizada e democrática, uma política pública de cultura para o país, respaldada e orientada pelo Plano e pelo Sistema Nacional de Cultura.

Fábio Espírito Santo, que participou de palestras sobre temas como Cultura digital e Novas Mídias na Educação, afirmou que a experiência foi muito inspiradora para o Vila, principalmente por ter a oportunidade de conhecer o trabalho dos outros pontos de cultura. "A partir deste evento, pudemos começar uma reflexão sobre as atividades atuais e as perspectivas do projeto aqui no teatro. Percebemos que o forte do nosso ponto de cultura é a formação e a investigação estética”, concluiu.

A partir das atividades que participou no evento, Marísia Mota propõe uma avaliação ainda maior. “Temos que articular as políticas culturais. Precisamos nos perguntar o que queremos para a cultura”, diz.

Durante A Teia, foi lançado um portal para promover a comunicação entre os pontos de cultura. No endereço http://www.iteia.org.br/ será possível conferir notícias e informações sobre todas as instituições que representam o projeto no Brasil.


Gil no espaço "Que porra é essa?". Foto: Élcio Paraíso

Para saber mais sobre esse grande evento, acesse http://www.teia2007.org.br/. Para ver fotos, o endereço é www.flickr.com/photos/teia2007 .

terça-feira, 13 de novembro de 2007

A Funceb aprovou!


O Teatro Vila Velha está comemorando a aprovação dos projetos de Rui Manthur e Mariana Freire no Prêmio Manoel Lopes Pontes Montagem de Teatro, da Funceb. Os dois artistas são integrantes da Companhia Teatro dos Novos (CTN), grupo residente do teatro.

O projeto de Mariana, Casa número nada – o grito da mulher desordenada, é independente. Já O olhar inventa o mundo, de Rui Manthur, tem estréia prevista para o primeiro semestre de 2008 aqui no Vila. O texto é uma adaptação do livro de poemas homônimo de Cacilda Povoas e será encenado pelo elenco da CTN. O espetáculo terá direção de Felipe Assis, cenário de Igor Souza, figurino de Rino Carvalho e iluminação de Fábio Espírito Santo.

ESTRÉIA AMANHÃ NO VILA


segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Orkestra Rumpilezz no Vila


Foto: Soromaia Brito


O maestro, compositor, arranjador e saxofonista Letieres Leite traz a sua Orkestra Rumpilezz para o palco do Vila AMANHÃ(13 de novembro), às 20h. Criada em 2006, a orquestra tem o nome originado a partir dos três atabaques do candomblé: o Rum, o Pi e o Lé, acrescidos do ZZ de Jazz. Suas composições e arranjos são concebidos a partir das claves e desenhos rítmicos do universo percussivo baiano, inspirados nos toques dos Orixás, no culto do Candomblé e nas grandes agremiações percussivas, como o Ilê Aiyê, Olodum e sambas do Recôncavo. A Rumpilezz traz o acompanhamento de sopros e percussão, com uma formação próxima das big bands.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

AMIGOS DO VILA - PARTE IV

O IRPOS - Instituto de Reeducação Postural também é um amigo do Vila! Hoje é a vez de apresentar esse instituto que já tem 13 anos atuando em prol da saúde e do bem estar.

O principal objetivo do IRPOS é a difusão de informações e prestação de serviços nas áreas de prevenção, tratamento e reabilitação de problemas psicossomáticos. O instituto oferece atividades de RPG, Osteopatia, Pilates, Hidroterapia, Hidroginástica, Acupuntura, Massoterapia, Terapia Reichiana, Experiência Somática, Reiki, Meditação Za-Zen, Qi Cong.

Além disso, também realiza, apoia e divulga pesquisas, projetos, cursos, seminários, simpósios e congressos. Em parceria com o Instituto PH. Souchard, organiza um curso de RPG para fisioterapeutas e, juntamente com a ABACO (Academia Brasileira de Arte e Ciência Oriental), promove um curso de acupuntura em nível de Pós Graduação para profissionais da área de saúde. Para a população em geral, o IRPOS oferece atendimento ambulatorial de acupuntura a preços populares.

Se você quer ter qualidade de vida, não deixe de procurar o nosso amigo.

IRPOS - INSTITUTO DE REEDUCAÇÃO POSTURAL
Endereço:
Rua Rio de São Pedro, 17, Graça.
Telefax: (71)- 3331-6272
Email: irpos@irpos.com.br
Site: http://www.irpos.com.br/

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Consciência Negra


Novembro é o mês da Consciência Negra e o Bando de Teatro Olodum traz duas montagens para o público! Pra quem ainda não assistiu Àfricas, primeiro espetáculo infanto-juvenil do grupo, essa é última chance! A montagem, que faz o maior sucesso entre adultos e crianças, abordando o continente africano, através de suas cores, músicas e mitos, encerra temporada neste sábado e domingo (10 e 11 de novembro) às 16 horas, no palco principal do Vila. Além dessa peça, o Bando também sobe ao palco este mês para encenar Cabaré da Rrrrraça, que está comemorando 10 anos de repertório.



Cabaré da Rrrrraça comemora 10 anos. Foto: Márcio Lima

Cabaré fica em cartaz em apresentações especiais nos dias 23, 24 e 25 de novembro, às 20 horas, com convidados musicais a cada noite. O aniversário de uma década da revista musical Cabaré será comemorado também com novos figurinos criados por renomados estilistas, uma exposição mostrando a trajetória da peça que percorreu o Brasil, a Europa e a África e um vídeo-documentário produzido pelos próprios atores com depoimentos de personalidades negras e do público em geral.


Último fim de semana de Áfricas. Foto: Márcio Lima.

SERVIÇO
Espetáculo: Áfricas
Texto: Chica Carelli e Bando de Teatro Olodum
Direção: Chica Carelli
Quando: dias 10 e 11 de novembro, sábado e domingo, às 16h.
Onde: Teatro Vila Velha, Passeio Público, Campo Grande .
Ingressos: R$ 16,00 (inteira) e R$ 8,00 (meia). Crianças e adolescentes pagam meia a partir de dois anos até os 18 anos.

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Atenção! Oficinas!

Atenção, atenção.

A oficina de teatro do mês de novembro promovida pel'A Outra Companhia de Teatro teve de ser adiada em uma semana.

O novo dia de início das aulas é 17 de novembro.

A quantidade de aulas continua inalterada, logo terminaremos no dia 16 de dezembro, quando haverá uma mostra dos resultados da oficina, e uma surpresa!

Para se inscrever, ligue para 3083-4617 ou manda um e-mail pra gente: aoutra@teatrovilavelha.com.br

Corre que ainda tem vaga.

Festival por todos os lados



Foto: Mulher Popular Brasileira

HOJE tem Mulher Popular Brasileira, da É?!. Cia de Teatro, o último espetáculo a se apresentar aqui no Vila Velha pelo FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO DA BAHIA. Tá acabando aqui no Vila, mas o evento ainda está rolando pelos quatro cantos de Salvador. Confira a programação em www.cooperativabaianadeteatro.com.br/festival. E não deixe de visitar a mostra Petrô – uma exposição em homenagem a Carlos Petrovich. A exposição é gratuita e fica no foyer do Vila até 19 de novembro.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Só nesse final de semana




A Arte Sintonia Companhia de Teatro traz o espetáculo PEDAÇO DE MIM para o palco do Cabaré dos Novos, no próximo final de semana (09, 10 e 11/11, 20h). Baseado nas canções de Chico Buarque, o musical narra, através de Bárbara, uma cantora de Cabaré, os encontros e desencontros do amor. A montagem utiliza canções como Pedaço de Mim, Eu te amo, Cecília e Carolina, para levar ao palco todas as nuances dos relacionamentos amorosos: a magia dos encontros, a dor da perda e as desilusões humanas.

segunda-feira, 5 de novembro de 2007






Amanhã tem cortejo na rua! Todos os artistas estão convidados a celebrar o Festival Nacional de Teatro da Bahia.

Também pelo Festival, estão rolando discussões sobre os trabalhos dos grupos artísticos, sempre com a participação de três grupos diferentes, todos os dias, de 9h30 às 12h, na Sala do Coro. Hoje, foi a vez da Companhia Novos Novos, quarta-feira o Vilavox é quem vai estar lá e sexta é a vez do Bando de Teatro Olodum.

Participem!

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

AMIGOS DO VILA - PARTE III

Para continuar a série Amigos do Vila, apresentamos dessa vez o ACAMPAMENTO ARRAIAL UNISER. A colônia de férias foi fundada em 1990, por dois irmãos que, na infância, participavam do acampamento de férias Pumas, em Campos do Jordão (SP). Um deles é bem conhecido da gente aqui no Vila: Gordo Neto, ator, diretor e coordenador do Núcleo de Comunicação do teatro.

O Arraial, que funciona em sociedade com a Uniser, na Estrada do Coco (Camaçari-BA), acontece nas férias de janeiro e também no meio do ano. No roteiro da diversão, existem várias atividades para cada faixa etária, diversas modalidades de esporte, passeios externos a paraísos ecológicos como Rio Pojuca e Praia do Forte, campismo e atividades artísticas. A garotada se diverte e aprende ao mesmo tempo.

A equipe do Arraial é montada por profissionais das áreas de psicologia, artes e educação física, uma enfermeira e um programador com grande experiência em acampamentos, além de uma super infra-estrutura.

Leve seu filhote para passar as férias no Arraial. Ele vai (te) adorar!



ARRAIAL UNISER
Endereço: Unidade de Desenvolvimento do Ser (Uniser)
Estrada do Coco, Km 10, Camaçari-BA.
Site: http://www.oarraial.com.br/.
Telefone: (71) 3345-0606 / 8889-0567

O Arraial