segunda-feira, 31 de maio de 2004

Nesse final de semana tem Cabaré da RRRRRaça!



Fenômeno total, Cabaré é uma peça que as pessoas assistem mil vezes, voltam, trazem mais amigos, espalham, enchem a casa em toda temporada. Tem gente que não vai ao Teatro, mas vem ver Cabaré da RRRRRaça, é impressionante! Algumas pessoas entendem a proposta, outras entendem pela metade, uns se chocam com a nudez, outros ficam maravilhados... O importante é que a peça mexe com quem assiste, planta algum tipo de incômodo ou reflexão. Saindo da platéia, tendo gostado ou não, o espectador é tocado por aquilo que viu e ouviu em cena.

Se você já assistiu, talvez seja a hora de rever. Se ainda não veio ver, sério mesmo, não perca!

Juliana Protásio

quarta-feira, 26 de maio de 2004

Nas últimas duas semanas passamos da paz garantida por nossos firewall e anti-vírus para um estado de caos que se instalou com um dos Beagles, o vírus da moda. O vírus se recicla, gerando novas versões, cada uma delas com uma nova letra do alfabeto, Beagle-A, Beagle-B, Beagle-C... Numa das nossas máquinas encontramos o Beagle-Z. Ao saber disso, Gordo faz uma sábia constatação:

- Esse Beagle é lenhado mesmo! Se fosse no TCA, ele não ia ver nada do espetáculo...

terça-feira, 25 de maio de 2004

SALÃO DE M.A.I.O

Nesta sexta-feira, rola a abertura do Salão de M.A.I.O, um projeto do GIA (Grupo de Intervenção Ambiental), que usa o espaço urbano para intervenções artísticas. Até o dia 3 de junho, Salvador estará tomada por manifestações visuais elaboradas por artistas de diversos estados brasileiros. Tem de tudo um pouco: cartaz, adesivo, performance, instalação, entre outras formas criativas de meter o dedo no cotidiano da urbe.

Confira o Mapa do Salão e agende-se!

Juliana Protásio

sexta-feira, 21 de maio de 2004

Esse negócio da seleção dos figurantes está bem engraçado. Primeiro pelas perguntas que pintam quando as pessoas ligam para pedir informações. "A foto de corpo inteiro precisa ser nu?", por exemplo.

E agora a novidade são os funcionários querendo fazer a figuração. De uma hora pra outra, a galera ficou em polvorosa com a possibilidade de aparecer no cinema, todo mundo perguntando o que é que precisa fazer para se inscrever... Está um verdadeiro movimento!

Juliana Protásio

quinta-feira, 20 de maio de 2004

Por que você não aparece na tela de cinema?



Olha só, essa é a chance que vc estava esperando: a produção de Viva o Povo Brasileiro, que é coligada aqui do Vila, está selecionando figurantes para o filme. Eles querem juntar o chamado Povo Brasileiro, pra engrossar o caldo na tela. Você já é povo fora do cinema, na telona fica mais bonito, né não? E ainda vai ter a chance de ser dirigido por André Luís Oliveira.

Certo, então agora é só saber onde assina. Ó, não é bem assim! Primeiro, é preciso vir aqui no Vila, trazer seu currículo com foto e preencher uma ficha de inscrição. É um povo selecionado. Quem vai receber vc é Maiana, que só funciona das 9 às 12 da manhã, então nada de atrasar. As inscrições estão abertas somente até o dia 31, então corre!

Juliana Protásio


terça-feira, 18 de maio de 2004

POESIA E CANÇÃO

Amanhã tem palestra aqui no Vila! Zé Miguel Wisnik, atração do MPB PETROBRAS, fará uma exposição que abrange temas como as relações entre música e letra; poesia escrita e poesia cantada, seus cruzamentos e diferenças; tropicalismo; bossa nova; pós-tropicalismo; os compositores Noel Rosa, Dorival Caymmi e Vinicius de Moraes; e Chico Buarque, o cancionista e escritor. A palestra tem entrada franca e será seguida de debate com o público.

Sobre Zé Miguel Wisnik?
Wisnik é compositor e professor de literatura brasileira na Universidade de São Paulo. É autor dos livros O som e o sentido - uma outra história das músicas (Companhia das Letras), O coro dos contrários - a música em torno da Semana de Arte Moderna (Livraria Duas Cidades), e de numerosos ensaios, como os publicados nos volumes coletivos Os sentidos da paixão, O olhar e Ética(Companhia das Letras). Como compositor, é autor de três CDs: José Miguel Wisnik (1993), São Paulo Rio (2000) e Pérolas aos poucos (2003). Dirigiu o CD de Elza Soares, ?Do cóccix até o pescoço? (2002). Fez música para cinema (Terra Estrangeira e Janela da Alma), para teatro, com diversas participações nos espetáculos do Teatro Oficina, em São Paulo, e para dança (Nazareth e Parabelo, em parceria com Tom Zé, para o grupo Corpo).Tem canções gravadas por Ná Ozzetti, Jussara Silveira, Monica Salmaso, Gal Costa, Maria Bethania, Caetano Veloso.

quinta-feira, 13 de maio de 2004

NO FORNO...

O pessoal dos grupos residentes já está preparando a montagem em homenagem aos 40 anos do Vila. O espetáculo deve ter gente de todos os grupos para contar a história do Teatro. É claro que não é todo mundo de todos os grupos - só do Bando já são 30!, já pensou? - e deve ter também um monte de artistas convidados. Diretores e intérpretes já estão com a mão na massa.
* * *

Desde a semana passada, os "Viladanços" estão envolvidos numa oficina com o João Sanches (autor e diretor de Romeu e Julieta não se amam mais). Isso mesmo: uma oficina de Teatro. É por causa da concepção do próximo espetáculo da Companhia, que vai ter direção do próprio João e de Cristina Castro, direcionado para crianças e adolescentes. A preparação toda está deixando Cristina bastante empolgada. Ela diz que este será um passo totalmente novo para o Viladança. Todo ano esse povo inventa novidade...
* * *

Outra montagem que já está em processo de ensaio é Arlequim - Servidor de Dois Patrões, o primeiro projeto d'A Outra Companhia de Teatro. Com um elenco um pouco diferente daquele que fez a leitura dramática, a peça promete surpreender o público quando estrear.

terça-feira, 11 de maio de 2004

CASA CHEIA!

É sempre bom!



O espetáculo Mundo Novo Mundo de hoje foi fechado para escolas públicas. Depois do espetáculo, o público teve a oportunidade de fazer perguntas aos atores sobre o tema do espetáculo e sobre como é fazer teatro sendo criança.


segunda-feira, 10 de maio de 2004

No sábado, a festa foi boa!


A Lavagem foi uma grande comemoração, mas a equipe do Vila não deixou de suar a camisa. Mesmo com o trabalho bastante adiantado pelo pessoal da LIMPURB e da SPJ ao longo da semana, ainda tinha muita coisa para fazer. A mais significativa foi a lavagem da estátua de Dionísio, deus grego do vinho e do delírio das Artes, que recepciona os artistas e espectadores que vêm ao Teatro.


Com a percussão forte dos meninos do Instituto Ara Ketu, e a performance cordelista de Marcelo Benigno (Vitória da Conquista), a festa começou pra valer. As pessoas se reuniram ao redor da estátua, enquanto Danilo e Léo (Viladança), Rivaldo Rio e outros, esfregavam Dionísio com água e sabão. Por todo canto no Passeio Público, figuras coloridas como palhaços e gente de perna-de-pau, faziam a festa. Era o Teatro de Rua, o grupo Beje Eró, os Jovens do Amanhã, o grupo E2, o GRUCON...


Em pouco tempo, toda área do Passeio foi tomada pelo mutirão da limpeza: era gente lavando as estátuas, outro grupo pintando os brinquedos, uma turma esfregando o chão dos mirantes... Trabalho é que não faltava. As equipes da TVE, TV Bahia, TV Aratu e do jornal Correio da Bahia, desde cedo, registravam tudo. Enquanto isso, comandada por Chica Carelli, outra turma arrumava as coisas para servir o almoço mais tarde...




Rolaram ainda as apresentações do Coral do Liceu, regido por Sérgio Souto, e do grupo de teatro Ladrilho, que chamaram atenção de todos ao ar livre, onde também acontecia a exposição do brechó organizado pela estilista Wládia Góes. Além da equipe do Vila, estiveram presentes o reitor da UFBA, Naomar Almeida, a vereadora Olívia Santana, Nelson Issa, do Liceu, e os atores Rodrigo dos Santos, Cynthia Rachel e Cridemar Aquino, da Cia. dos Comuns, do Rio de Janeiro.

Por fim, para repor as energias, no início da tarde foi servido um caruru a todos que estavam presentes. Aos poucos, o pessoal foi sentindo o dia avançar na cadência da banda Zumbaê, com as cadeiras quebrando e a alegria estampada no olhar.

Juliana Protásio



Marcio Meirelles não parava quieto e as crianças se arrumavam para a festa

A lavagem de Dionísio


Márcia Menezes, Marísia Mota e os dançarinos do Viladança participaram da lavagem

A vereadora Olívia Santana bate um papo com Márcia Menezes,
presidente da ONG Sol Movimento da Cena, que administra o Vila.


O Vilavox também marcou presença


Não foi brincadeira: o pessoal meteu mesmo a mão na massa! E os Novos Novos tomaram conta do parquinho.

Por fim... Dionísio limpinho, e o pedido de patrocínio do Viladança.

quinta-feira, 6 de maio de 2004

A Cia Novos Novos e as apresentações para escolas públicas


No início dessa semana, a Cia. Novos Novos fez apresentações de Mundo Novo Mundo para a moçada de escolas da rede municipal. A idéia é trazer os meninos e meninas ao Teatro e promover um debate após a peça, envolvendo as crianças do elenco e da platéia, para ampliar a compreensão e a reflexão sobre o espetáculo. Débora, diretora da Companhia, disse que tanto ela quanto seu elenco estão adorando a experiência. O ritmo das apresentações é bem intenso e todos trabalham arduamente. Nos intervalos, é possível ver o pessoal meio morgado pelos cantos, ou outras criaturinhas mais agitadas ouvindo os apelos de Débora para pouparem energias.

Os debates têm sido interessantes e põe em contato jovens que têm realidades, e também pensamentos, bem diferentes. Quando os atores do elenco se apresentam, dizendo a idade e a série que cursam, é possível ouvir um burburinho de espanto pela platéia, já que muitos ali, por causa da falta de oportunidade, estão muito atrasados no curso. Os Novos Novos aproveitam o momento para estimular o gosto dos alunos visitantes pelo fazer teatral e pela cultura, ao mesmo tempo em que suas reações os fazem pensar sobre uma série de questões sociais.

Sem dúvida, esse encontro entre a Cia Novos Novos e os alunos da rede municipal vai deixar marcas em ambos os lados. O que se espera é que essa experiência seja transformadora para esses jovens.

E semana que vem, tem mais!

Juliana Protásio

A limpeza já começou!

Hoje de manhã a turma da LIMPURB já está por aqui pintando o meio-fio, o pessoal da SPJ podando árvores, todos dando uma geralzinha para que no sábado a gente possa fazer mais festa do que faxina. Sinal de que o rebuliço deu certo e tem gente que se importa com o Passeio Público. Esperamos que fique tudo bem bonito, como Salvador e o Vila merecem. Aliás, não esperamos apenas: continuamos nos movimentando para mostrar que o Passeio pode ser utilizado de uma forma bacana por todo mundo.

quarta-feira, 5 de maio de 2004

Juliana Valente manda lembranças

Oi, povo do Vila!!!

Sou eu, Juliana Valente! Acabei de ler o informativo da Lavagem (minha mãe encaminhou para o meu e-mail) e achei o máximo! Vou fazer de tudo para ir! Tô colada!
Poxa...tô morrendo de saudade de vcs! Falei com Nalvinha no tel e ela me perguntou qndo eu ia ai visitar vcs, mas é que tá lenha!!! O ritmo apertou legal. É faculdade de manha e de noite, estágio, curso... Danado! Ah, e por falar em estágio...tô adorando estagiar aqui na agência (Maria), é super legal poder vivenciar o dia-a-dia
de uma agência! Tô aprendendo várias coisinhas!
Bom, gente...é isso! Só mandei esse e-mail para dar um alô e dizer que não esqueci de vcs não, viu?! E, se Deus quiser, sábado tô ai participando dessa Lavagem e matando a saudade de cada um!

Beijão, Ju (Valente) hehehe!

P.S: Eu iria agradecer muito se alguém pudesse cadastrar o meu e-mail na lista do Vila para que eu mesminha aqui recebesse o informativo diretamente e não por minha mãe, tá? Muito obrigada! hahahahaha!!

terça-feira, 4 de maio de 2004

Vila Brechó
ou traz pra'qui que nóis aproveita!

Sabe aquela roupa antiga que não combina com seu novo visual? E aquele sapato que anda lhe fazendo calos? Quem sabe, aqueles colares e assessórios saídos láááá da década de 80... Em sua casa, esse monte de tralha se acumula pelos cantos, não é? Então que tal fazer um favor a si mesmo: dá isso pr'a gente!

Se ligue: neste sábado, uma das atrações da tão esperada Lavagem do Passeio Público será um BRECHÓ, organizado pela estilista Wládia, para arrecadar fundos e objetos para o Vila. O público poderá doar roupas e objetos, que serão vendidos ou aproveitados pelo pessoal daqui do Teatro. Para maiores informações, vocês podem entrar em contato com a organizadora do brechó pelo telefone 9952-5678. Ao longo da semana, Wládia estará recebendo o material que vai ser exposto para venda durante a Lavagem.

segunda-feira, 3 de maio de 2004

29 de janeiro de 1962 foi uma segunda-feira!


Fernando Fulco, que ajuda a gente na organização da memória do teatro, me falou de uma dúvida que ele tinha acerca de um jornal amarelado que poderia ser de 1962 ou de 1963. Era a coluna de Thereza Sá noticiando que a Sociedade Teatro dos Novos iniciaria os ensaios de "Eles Não Usam Bleque-Tai". Já que este é, até o momento, o único registro que temos do início dos ensaios, saber se o recorte de jornal datava de 1962 ou 1963 era essencial. Ele apostava que era 1962. Marcio Meirelles achava que era 1963.

Escaneamos o recorte em altíssima resolução e a dúvida persistia. A nossa outra pista era que sabíamos que o dia 29 de janeiro de 196? foi uma segunda-feira. Tava lá no jornal.

A primeira idéia foi retroceder o relógio do Windows. Quem disse? O danado só volta até 1980. Depois procuramos no Google. Desesperadamente. E então percebemos que tem coisas que nem mesmo o Google pode fazer pela gente. Pedi ajuda ao meu irmão, que eventualmente encontra soluções simples para problemas aparentemente insolúveis.

Meu irmão encontrou na internet essa fórmula:

"y = d + INT[(13 m - 1) / 5] + a + INT[a / 4] + INT[c / 4] - 2 c

sendo que:

S = y - 7 INT[y / 7]

onde:

d - dia do mês;
INT - parte inteira do número real (por exemplo: INT [7,86] = 7);
m - mês, sendo que Março corresponde a 1, Abril a 2, etc.;
a - os dois últimos algarismos do ano (por exemplo, em 1796, a=96);
c - os dois primeiros algarismos do ano (por exemplo, em 1826, c=18);
S - dia de semana pretendido, sendo que Domingo corresponde a 0, Segunda-feira a 1, etc.)"


Fiz os cálculos e: 29 de janeiro de 1962 foi uma segunda-feira. 29 de janeiro de 1963 foi uma quarta-feira. Fulco levou.

Camilo Fróes
Lava lava lava
Esfrega esfrega esfrega...

“Lavagem” na comemoração dos 6 anos do novo Vila

O Teatro Vila Velha convida todos os companheiros, amigos, artistas e quem quiser entrar na roda para lavar o Passeio Público neste final de semana! Sábado, a partir das 9 da manhã, vamos pegar nos baldes e vassouras para chamar atenção de todos para esse lugar lindo e que anda abandonado. E é com muita alegria que fazemos isso, porque aproveitamos também para comemorar os 6 anos de reabertura do Teatro. Isso mesmo: no dia 5 de maio, o Teatro Vila Velha comemora seis anos de reinauguração. São seis anos de uma nova fase, com melhorias estruturais e técnicas, dentro dos 40 anos de história que também completamos neste ano.

A lavagem é uma FESTA! A idéia da “Lavagem” pintou para marcar uma data de grande importância para a classe artística baiana, deve reunir gente que trabalha e freqüenta o Teatro, e serve também para tornar público o zelo e carinho reservados ao Vila e ao Passeio Público.

Para a festa ser completa, contamos com a colaboração da administração do Palácio da Aclamação, que disponibilizará seus funcionários, e apoio do governador Paulo Souto, que mostrou-se muito solícito em acionar a SUCOM, a LIMPURB e outros órgãos oficialmente responsáveis pela limpeza e manutenção de áreas públicas.

Anote aí: No próximo sábado, dia 8, às 9 da manhã!